No dia 04 de julho, realizamos a primeira edição virtual do Bordando no Banquinho PdD, via zoom. Uma forma de manter viva a nossa tradição de encontros, bate-papo e troca de experiências, mas adaptada à realidade dos novos tempos.

O evento, que teve uma hora de duração, contou com a presença de bordadeiras muito queridas, e manteve o mesmo clima alegre, acolhedor e carinhoso dos deliciosos encontros mensais realizados em nosso banquinho.

A ideia de realizar o Bordando no Banquinho Virtual surgiu quando percebi que mesmo de casa, as pessoas continuavam bordando, criando projetos para se sentirem próximas umas das outras, para se manterem ativas, criativas… e acima de tudo, continuavam compartilhando entre si delicadezas bordadas.

Ao longo do encontro, as bordadeiras tiveram a possibilidade de falar sobre a nova rotina, mostrar alguns dos projetos realizados e matar um pouco a saudade de sentar lado a lado para bordar as belezas que nos cercam.

Para nós que fazemos parte da equipe PdD, foi uma grande alegria entender as novas inspirações, reencontrar pessoas queridas e, acima de tudo, perceber que o bordado, essa arte tão linda e tradicional da nossa cultura, tem sido usado como instrumento de alegria e esperança de que, em breve, as coisas voltarão ao normal.

Pessoalmente, a alegria foi ainda maior, pela grande admiração e carinho que tenho pelo bordado, que sempre esteve presente na minha rotina, mesmo antes da loja.

No encontro, inclusive, tive a possibilidade de compartilhar a história de como ele me entrou em minha vida, através da minha querida mãe Lulu e sua família, repleta de bordadeiras e costureiras muito prendadas, que sempre faziam peças muito lindas e delicadas.

Revisitei o período em que fomos morar nos Estados Unidos, para que meu pai, dentista, estudasse. Lembrei de um tradicional encontro das esposas, de vários lugares diferentes, para trocar experiências e falar um pouco da cultura do país de origem. Em um desses encontros, minha mãe, encorajada por uma amiga francesa, levou peças do enxoval que ela fez para as quatro filhas antes da mudança. Vestidos, meinhas, faixas para cintura, para o cabelo, tudo bordado com ponto rococó, com lindas florzinhas, fitinhas, miçangas. As peças fizeram um enorme sucesso.

Daquela época até a abertura da loja, muitos anos se passaram e durante esse período, o bordado perdeu muito espaço. Mas para minha alegria, ele voltou com força total! Nesses 10 anos de PdD, as manualidades sempre foram a nossa marca registrada e o bordado sempre esteve presente, desde o início. Nos produtos, nos encontros, em exposições. E assim ele seguirá, mesmo com o distanciamento, mesmo com as pessoas bordando de casa. Graças à dedicação das bordadeiras em tocar e passar para frente as técnicas e a paixão. Mais vivo que nunca, lindo como sempre.

A seguir, confira algumas imagens do encontro do dia 04: